Do papel para o mundo-Um blog de lifestyle com resenhas de séries, filmes, livros, moda, beleza, comportamento e muito mais

18 de setembro de 2019

O véu da moça

setembro 18, 2019 0
O véu da moça
Poesia o véu da moça
O véu da noiva revela seu rosto em pequenas partes
Mas não lhe apresenta além dos traços
Não diz seu nome e nem sua força

A moça que casa pode ou não ter casa
Pode sonhar com seu castelo
Ou ansiar pela simplicidade de um lar no campo
Ser moça não a torna igual a todas as outras moças

No altar ela pode dizer sim
Mas também pode dizer não a tantas coisas
Na cama, na cozinha e até após uma afirmação
Mudar é a arte de ser livre
E a moça pode

Seu véu não é prisão, meu caro
É amor, é entrega
Veja seu brilho nos olhos
Mas não se esqueça que o brilho é dela

Bárbara Amorim

16 de setembro de 2019

As melhores frases do novo álbum da Jade Baraldo

setembro 16, 2019 0
As melhores frases do novo álbum da Jade Baraldo
Jade Baraldo frases
Olá, olá! Tudo bem? Cá estou eu com mais um post sobre Jade Baraldo! Por um bom motivo, como não poderia de ser, pois a cantora acaba de lançar seu álbum de estreia, "Mais que os olhos podem ver". O conceito dele é bem legal, com uma vibe poética sensual e misteriosa, demarcando ainda mais a identidade da catarinense. Decidi então destacar os melhores trechos das músicas pra você observar as letras melhor, postar nas redes sociais ou até enviar como indireta pra alguém! Bora lá?
Jade Baraldo
"Eu sou indomável, nem eu posso me parar
Um tipo de espécie que é difícil de encontrar
Querem a minha pele, ninguém me quer pra criar
Avanço e mordo se tentarem me atacar"

-Perigo
Jade Baraldo
"Mundo de desejo proibido
Desperta os meus instintos
Me beija, me deixa por um fio
Cada vez mais fundo"

-Nós dois
As melhores frases do novo álbum da Jade Baraldo
"Tô na rua
Quase nua
De longe sinto o seu corpo
Na minha boca um gosto
Quase vou pra Lua e volto"

-Yo quiero
Jade Baraldo
"Oh meu amor, vamos morrer juntos
Oh meu amor, isso é tudo o que importa"

-Oh my baby... let's die together!
Jade Baraldo
"Ah, eu sou o ar
Pro teu fogo queimar
Amor da minha vida"

-Jardim (Minha música favorita!) <3

"Pode até se rastejar, me ameaçar
Não sou de fingir, vai ter que me engolir"

-Encosto
Jade Baraldo
"Você quis ver
Tremer
Até o amanhecer"

-Lilith
Jade Baraldo
"Escuta amigo, eu não corro perigo
Quando me desligo desse mundo
Só pra me encontrar"

-Desculpa amigo
Jade Baraldo
"Meus quadros na estante da vida
Manchados por sangue e suor
Sentindo o clima de partida
Me acostumei a ser só"

-R3set4r

Ouça o álbum inteiro abaixo:


E ah, deixe seu comentário! <3

13 de setembro de 2019

It: Capítulo 2 – mais violência que terror

setembro 13, 2019 0
It: Capítulo 2 – mais violência que terror

It Capítulo 2 – mais violência que terror
Olá, tudo bem? Se você é uma pessoa antenada no mundo do cinema, deve saber que estreou It: Capítulo 2, e amante do primeiro filme que sou, fui animada conferir! Bem, o que posso dizer é que eu esperava mais. Porém, não deixei de ser surpreendida! Não disse como...

A história se passa, dessa vez, na cidade de Derry, 27 anos após o terror gerado pelo palhaço Pennywise, e marca o encontro dos amigos que formavam o Clube dos Otários. A nostalgia continua sendo um elemento importante na trama, que traz diversas cenas dos amigos no passado, lembradas por eles, agora adultos. A fotografia não deixa de ser uma experiência à parte para os cinéfilos, que somada aos efeitos sonoros, captam a essência da obra, original, de Stephen King

Não consigo dizer que It: capítulo 2 não é um bom filme, pois apesar das mudanças devido à passagem do tempo, a atmosfera ainda é a mesma, tanto que décadas depois de todo o ocorrido na cidade, Beverly, Bill, Richie, Eddie e Ben permanecem com as suas características principais da infância. O problema da coisa, e aí não me refiro ao Pennywise, é que o filme traz questões problemáticas que envolvem minorias, e não podemos ignorá-las como se não interferissem no longa-metragem. 
It: Capítulo 2 – mais violência que terror

*A partir daqui, contém spoilers*

No quesito desnecessário, a gordofobia é a marca mais aparente em It. Há mais de uma cena feita especialmente para gerar riso no telespectador, reforçando estereótipos que Hollywood ainda não desapegou. Uma das cenas mais fortes, bem no início do filme, envolve a agressão de um casal composto por dois homens, que além de serem humilhados verbal e fisicamente, em uma passagem um tanto quanto lenta para o enredo da trama, termina com um dos rapazes espancados sendo jogado do alto de uma ponte. Pensa que acabou? Não! Um pouco depois, Bev leva uma surra do seu marido abusivo (assim como seu pai), que fica com ciúmes após uma ligação telefônica. Pelo que foi destacado, devemos nos questionar: será que algumas cenas foram realmente necessárias para a história do palhaço ou não passaram de espetáculo sensacionalista?
It: Capítulo 2 – mais violência que terror

De forma geral, acho que o filme se direciona mais à violência do que ao terror. Alguns efeitos especiais poderiam ser mais assustadores, por exemplo. Em alguns momentos, a repetição de cenas com o intuito de nos assustar reduz seu impacto, pois já esperamos algo em meio à escuridão. A longa duração do filme (quase três horas) poderia ter sido melhor aproveitada, com cenas e diálogos mais lentos que agregassem ao roteiro, ao invés de expor a violência de forma intensa e sem desdobramentos de sentido.

Se você já assistiu o filme, me conta o que achou e qual a sua opinião sobre as cenas de violência?

11 de setembro de 2019

Sobre o amanhã que não sei

setembro 11, 2019 0
Sobre o amanhã que não sei
Sobre o amanhã que não sei
Eu não sei o que vai ser de mim
quando o ano virar
Então, o que posso dizer de nós?
Silêncio

Não, eu não quero nos calar
Não quero tapar tua boca com nada além de beijos
Mas não te trago certeza
Desconheço o amanhã

Não tenho pressa
Caminho em pausas
Pausas lentas que dançam com o meu corpo
Tenho reticências em mim

Posso acordar e ser um poema
que agarra em teus lábios com paixão
Posso também ser um conto
que conta o mistério do fim
É caminhando que se sabe

Bárbara Amorim

6 de setembro de 2019

Um perigo chamado Jade Baraldo

setembro 06, 2019 0
Um perigo chamado Jade Baraldo
Perigo, Jade Baraldo
Jade Baraldo acaba de lançar o primeiro single de seu novo trabalho, "Mais que os olhos podem ver". Repleto de muita sensualidade, uma marca da cantora, o clipe mostra ela ensanguentada em uma banheira dançando. Intensidade com certeza é uma palavra a ser pensada ao assistirmos o vídeo, que se passa na maior parte em uma casa de show noturna. 
Jade Baraldo
A letra fala sobre se entregar de todas as formas em uma relação a ponto de nem ela mesmo ser capaz de controlar. Viciante, basta ouvir algumas vezes seguidas para ficar com o som na cabeça. 

"Eu sou indomável, nem eu posso me parar Um tipo de espécie que é difícil de encontrar Querem a minha pele, ninguém me quer pra criar Avanço e mordo se tentarem me atacar"

Mais uma vez, a pele tem um lugar de destaque no fazer artístico de Jade, que mescla movimentos sensuais do corpo com olhares provocantes. Além disso, a música é profundamente autêntica, como costuma ser o trabalho da ex-participante do "The Voice Brasil", exibido pela Rede Globo. Este ano, ela ainda se apresenta no Rock in Rio, como um modo de mostrar ainda mais o amadurecimento de sua carreira.

Agora me conta, o que você achou de "Perigo"?

4 de setembro de 2019

Você não sai de mim

setembro 04, 2019 0
Você não sai de mim
Você não sai de mim
Sem juízo algum espero
Te espero
Conto as horas no relógio para o amanhã
Em que te ver deixará de ser um sonho

Sei que não deveria
Mas o que faço se meu coração te chama?
Onde desligo o que quer que seja que me atrai a você?
Onde ministram aulas sobre o esquecimento?

São tantas perguntas dentro de mim
que de certa forma, me invoco
Me provoco e me viro do avesso
Faço de tudo, mas não te esqueço

Você não sai de mim
Não é como um desejo
Não é como uma sede intensa de alguém
que simplesmente deixou de beber água
Você não sai de mim porque me habita
E não tem manual pra isso que eu sinto
Não vai ter tratamento
A única cura será o amor

Bárbara Amorim

3 de setembro de 2019

A confusão mental que se plantou

setembro 03, 2019 0
A confusão mental que se plantou
A confusão mental que se plantou
Há dias na vida em que tudo o que você sabe que não tem é certeza. As coisas parecem fora do lugar, e não apenas aquelas que estão fora do seu armário. Cada noite é uma luta nova, em que você só quer deitar a cabeça no travesseiro e esquecer as aflições, mas a insônia é sua inimiga, obstinada a não te deixar dormir. É hora de entender que a guerra não será fácil.

Você sabe que não existe receita para a felicidade, mas pensa que se existisse seria tudo tão mais simples. Você não teria que escolher entre o amor e a sua liberdade. E muto provavelmente, agora, estaria falando de algo qualquer ao invés de escrever um texto na esperança de que algo faça sentido. E nada faz.

Talvez se você fosse menos intensa e não regida pelo signo de escorpião... Talvez se fosse poeta e não tivesse aprendido a amar... Ou talvez se tivesse amado demais e agora só quisesse um porto seguro. Ah, o talvez é que mata, dessas mortes pequenas e diárias. Mas você não pode prever o tempo das coisas, garota. Ninguém pode. 

O que se passa em sua mente, toda essa confusão, é retrato da sua verdade. Você quer abraçar o mundo, e é comum que nem sempre ele queira nos abraçar. Não guarde rancor por isso. Suas lágrimas já foram protagonistas dessa história, mas isso não é definitivo se você lutar por si mesma. Você ainda se lembra como? Ou seu banco de dados deletou a guerreira dentro de você?