Do papel para o mundo-Um blog de lifestyle com resenhas de séries, filmes, livros, moda, beleza, comportamento e muito mais

17 de julho de 2019

Ser nuvem

julho 17, 2019 0
Ser nuvem
Do papel para o mundo
Essa mania de passar por mim
feito trator ainda vai me matar
Como já me mata dia após o outro
só que de forma definitiva

Um dia abrirei os olhos e hei de gritar
Pela vitória de ter dormido
mesmo que às duas da manhã
Pelo vazio de ter acordado
e não saber para onde ir

As amarras de si mesma cansam
Ultrapassam fronteiras que te enforcam
E para quem se permite ser nuvem
essas desmancham

Aos poucos já não toco o céu
Mas sinto o chão tremer
É como um tênis e seu cadarço frouxo
Se desfaz na minha frente
enquanto viro gota

Bárbara Amorim

15 de julho de 2019

Por que você não cuida de si antes de dar o primeiro passo?

julho 15, 2019 0
Por que você não cuida de si antes de dar o primeiro passo?
Autocuidado
Olá! Como vai? Vou refazer a pergunta: como vai aí dentro? Tem feito sol? Tem chovido...? Como andam as sensações que te permeiam? Você se sente esgotada? Cansada? Sem ar e sonolenta? Por que se sente assim? Já parou pra se questionar de forma verdadeira? Já deitou na cama, olhou pro teto e tentou entender o motivo das suas angústias? Se sim, parabéns, você está no caminho certo. Em meio a tanta dor e falta de tempo inventada por nós mesmos (e pelo capitalismo, claro), pausar o trem que nunca para é ato pra corajoso

Agora, se você acha desnecessário dar uma folga do mundo e avistar seus universos particulares, sinto muito, mas você precisa voltar duas casas. Na verdade, bem mais que isso. Imagine alguém que acabou de levar um tiro, sem os primeiros socorros, sequer, tentando se levantar e caminhar. Consegue imaginar a cena? Então se coloque no lugar do ferido. Andar assim é mesmo a melhor ideia? Não seria mais eficaz cuidar de si antes de dar o primeiro passo?

Por que você não se permite se entregar às suas mágoas? Não, não estou querendo te ensinar a ser uma pessoa triste e deprimida, mas quero que você saiba que há muita luz na escuridão. Há luz naquilo que te prende e naquilo que mata. Já pensou nisso? Como seria  a vida se só existisse a claridade? Você olharia pro chão pra evitar pisar em algo perigoso? Não, pois não seria necessário. Você não precisaria cuidar de si mesma. As coisas seriam mais simples, mas não haveriam desafios, aqueles que nos fazem perceber que estamos vivos. Melhor dizendo, você não saberia a diferença entre um sorriso e uma lágrima se não conhecesse os dois

Então, sim, te desafio a chorar quando levar um tombo ao invés de fingir que está tudo bem e que não se machucou. Te desafio a ser mais do que pedra. Quero te desafiar a ser humana. Será que você consegue? Ou você acha que não merece? Ao menos cada um de nós, uma vez na vida, deveria ousar fazer o exercício de se despir para além do Instagram e da selfie perfeita, não acha? É sim muito bom sorrir, mas quando o peito deságua não dá pra simplesmente fazer uma maquiagem e gravar um stories rindo. Não é justo com você explorar apenas a sua superfície. 

12 de julho de 2019

Terceira temporada de 3% nos questiona: o que faríamos se estivéssemos no poder?

julho 12, 2019 0
Terceira temporada de 3% nos questiona: o que faríamos se estivéssemos no poder?
Terceira temporada de 3%
Olá! Tudo bem? Vamos falar de coisa boa? Em meio a tantas questões que merecem a nossa atenção no cenário político atual, algumas produções conseguem nos fazer pensar de forma bastante especial e questionadora. É o caso da série brasileira 3%, sucesso comparada à Jogos Vorazes e Black Mirror. A terceira temporada estreou no início do mês passado na Netflix, e é partir dela que eu venho te convidar a fazer uma reflexão: o que você faria se estivesse no poder?

Na trama, a personagem Michele, interpretada pela atriz Bianca Comparato, passa a comandar um novo lugar. Descoberto por ela no fim da segunda temporada, a Concha é uma alternativa à pobreza do Continente e todo o sistema meritocrático por trás do Maralto. Entretanto, liderar esse novo lugar em uma sociedade extremamente esgotada de tanta injustiça não se prova algo fácil. Em uma entrevista, a protagonista citou a frase "com grandes poderes vêm grandes responsabilidades" para definir a trajetória da Michele nessa temporada. Ao chegar ao "cargo" de destaque similar ao  do ganancioso Ezequiel, ela tem também a difícil missão de comandar uma verdadeira multidão de pessoas que só querem uma coisa: mudar de vida.
Terceira temporada de três por cento
Porém, nesse caminho, uma pergunta se faz necessária: até quando a Concha seria a construção de algo novo e não apenas a velha política egoísta e sedenta por poder? Quais os caminhos para o fim da desigualdade social que assola boa parte da população na série e na vida real? Pensando na vontade de mudança da Michele, mas tendo em vista que ela é jovem e errante como qualquer um, quais as reais chances do seu plano de criar um sistema totalmente oposto ao Maralto dar certo? Ela é a mocinha ou uma vilã travestida de heroína? Acredito eu, que mais complexa que ambos. Afinal, somos todos nós um pouco de múltiplas emoções

Não, eu não tenho a intenção de responder todas as minhas próprias indagações neste texto. O que eu quero é propor o debate, pois talvez uma das grandes lições dessa terceira temporada seja a de que a política é um espaço de construção diária, de aprendizado, vitórias e derrotas. Quando existe a vontade genuína pela mudança, aquela que se dá através do espírito e ação coletiva, é sinal de que é possível um novo mundo, mas isso não ocorre de um dia para o outro. Então retomo à questão inicial deste post por uma ótica um pouco diferente: o que você faz no seu lugar de poder enquanto cidadã/cidadão? Está contribuindo para um novo lugar?
Terceira temporada de três por cento

Comenta aqui o que você pensa ou o que achou desse post que eu vou adorar saber! 

9 de julho de 2019

Mania de crescer

julho 09, 2019 0
Mania de crescer
Poesia
A gente cresce e deixa de ser a pequena
Deixa de ser a adorada, a preferida
Deixa de ir à escola e passa a ir à guerra
Duela com os nossos próprios demônios

Crianças têm brinquedos
que podem ser bolas, bonecas, apitos
Adultos têm inimigos
Que podem ser contas, desafetos, fogões entupidos

A gente planta, crianças florescem
Em nosso peito brota cansaço
No delas sempre há tempo
Adquirimos rugas 
E elas ganham ou perdem dentes

Mas nem as perdas são pontes quebradas
Criança que é criança adora ir atrás do que não se sabe
Um planeta a avistar? É isso
Sorvete de estrelas com calda de morango? Por que não?

E a gente, nós, adultos, perdemos tanto
Isso porque além da idade e dentes de leite
Deixamos pra trás a infância
Matamos a criança que um dia fomos

Bárbara Amorim

8 de julho de 2019

Miley Cyrus e as mensagens inspiradoras no clipe de "Mother's Daughter"

julho 08, 2019 0
Miley Cyrus e as mensagens inspiradoras no clipe de "Mother's Daughter"
Miley Cyrus Mothers Daughter
Miley Cyrus acaba de lançar seu mais novo clipe, "Mother's Daugther". Em tons de vermelho, sensualidade e liberdade de movimentos, a cantora trouxe mensagens inspiradoras que precisamos guardar no coração. Além disso, gravou ao lado de pessoas reais e que têm muito a dizer e se expressar. Vem comigo conferir?

Não somos objetos
Se para muitos ainda não é óbvio, precisamos dizer: Nós, mulheres, NÃO SOMOS OBJETOS! Somos seres pensantes, que criam arte, vida e resistência. Somos muito mais do que um órgão genital e um ouvido para cantadas baratas e machistas. 

Somos livres para ser quem somos
Seja quem você é genuinamente. Sem dúvidas essa é a maior mensagem deixada por Miley nesse novo trabalho, que traz a liberdade em suas mais diversas formas. Você é livre para fazer um movimento ou mesmo ir atrás dos seus sonhos se você sabe quem você é. 
Miley Cyrus e as mensagens inspiradoras no clipe de "Mother's Daughter"

Representatividade importa
É essencial ter pessoas que representem as mais distintas realidades, sobretudo na mídia. Nesse novo clipe, pessoas da comunidade LGBTQ+, pessoas negras, gorda e deficiente física são representadas. 
Miley Cyrus e as mensagens inspiradoras no clipe de "Mother's Daughter"

Apoie o trabalho de alguém
Uma das lições inspiradoras por trás de "Mother's Daugther" é que podemos e devemos apoiar o trabalho de alguém que gostamos. Sabe aquela sua amiga que desenha super bem e vende a própria arte na internet? Prestigie! Curta, comente e compartilhe seus feitos. Isso ajuda outras pessoas a saberem que ela existe e assim mais gente pode também prestigiar o que ela faz. Garanto que ela ficará muito feliz, assim como acredito que as pessoas que gravaram o clipe da Miley devem ter ficado ao ver ela compartilhando sobre quem são elas no Instagram
Miley Cyrus e as mensagens inspiradoras no clipe de "Mother's Daughter"

Podemos nos expressar de múltiplas formas
Através da dança, do andar de skate, por uma tatuagem, cabelo raspado, pelo próprio corpo, pela voz, etc. O que não faltam são formas de nos manifestar e mostrar ao mundo quem somos verdadeiramente. 
Miley Cyrus e as mensagens inspiradoras no clipe de "Mother's Daughter"

Tudo bem estar fora do padrão
Ser você mesmo é se aceitar do seu jeito, com os seus traços e personalidade, e se isso significa estar fora do padrão, tudo bem. Em "Mother's Daugther" o que não faltou foi exemplo disso, de pessoas fora dos padrões hegemônicos. Talvez nem tenha sido fácil para elas o processo de aceitação, quase nunca é, mas se hoje elas são fortes e não temem se mostrar em um clipe, deve ter valido a pena.  
Miley Cyrus e as mensagens inspiradoras no clipe de "Mother's Daughter"



E aí, se inspirou? Então me conta o que você achou!

3 de julho de 2019

Vestida de mim

julho 03, 2019 0
Vestida de mim

Poesia

Entre o sono, o cansaço e a ansiedade
escolho a poesia
Prefiro transpirar palavras
do que morrer vazia

Se fecho os olhos e me afogo
talvez não deva dormir
Melhor a dança de palavras que rasgam a garganta
do que uma noite fingida
Repousada no sossego

Os versos me interrogam
Me tiram a lucidez
Mas me trazem a paz
que eu procuro na guerra

Me disponho então a guerrear comigo mesma
Com olheiras ou rímel nos olhos
Vestida de mim, e nada mais

Bárbara Amorim

1 de julho de 2019

Por que assistir "Gatunas", série sobre amizade e cleptomania da Netflix

julho 01, 2019 0
Por que assistir "Gatunas", série sobre amizade e cleptomania da Netflix
Gatunas
Neste mês estreou na Netflix a série "Gatunas", na versão original, "Trinkets", que aborda a temática da cleptomania através da três garotas que iniciam uma amizade a partir das reuniões do grupo "Furtadores anônimos". Eu terminei de assistir super rápido e vim te contar por que você deve maratonar essa série! Vem comigo?

Personagens reais e carismáticas
Diferentemente de muitas séries por aí que trazem personagens adolescentes que parecem mais velhas do que a idade representada, "Gatunas" traz personagens que de fato aparentam ter a fase de vida encenada Além disso, as atrizes - Moe (Kiana Madeira), Tabitha (Quintessa Swindell) e Elodie (Brianna Hildbrandestão super bem em seus papeis, cada uma transmitindo seus dramas pessoais com muita veracidade. 
Gatunas

É curta e fácil de maratonar
Agora vamos ao que interessa neste mundo que tanto exige do nosso tempo! Relaxa que com "Gatunas" você nem vai lembrar que o tempo existe, afinal, ela é uma série super fluida e com apenas 10 episódios de menos de 30 minutos. Não dá nem tempo de criar desculpas para não assistir, né?
Gatunas

Aborda questões importantes
Além da cleptomania, doença na qual a pessoa rouba sem necessariamente ter um motivo financeiro, "Gatunas" toca em assuntos como relações familiares desestruturadas, relacionamento abusivo (e daí eu poderia entrar em outras questões interligadas, mas seria muito spoiler, então vamos prosseguir), dificuldade de criar laços afetivos, relacionamento com alguém do mesmo sexo (de forma naturalizada e interpretada por uma atriz lésbica) e vício em redes sociais. 

Trilha sonora intimista
Se você gosta de séries com uma boa trilha sonora vai amar "Gatunas", que tem músicas alternativas que se encaixam perfeitamente com as tramas das personagens. Um destaque vai para Kat Cunning, atriz e cantora americana que se apresenta na série e simplesmente arrasa com sua voz maravilhosa! A cantora também já teve sua canção "Eve" em "Riverdale", outra série com uma excelente soundtrack. 

Uma amizade inspiradora
Por fim, mas não menos importante, a série traz uma amizade super real (imperfeita, minha gente) construída por meio das dificuldades das personagens, que juntas percebem e se mostram muito mais fortes do que quando agem sozinhas. É um girl power lindo de se ver!
Gatunas

E aí, se interessou pela série? Me contaaa! <3