O fim que eu não quero viver - Do papel para o mundo

29 de outubro de 2017

O fim que eu não quero viver

Talvez amanhã eu acorde e você já não esteja mais ao meu lado. Terá partido e deixará comigo todas as lembranças dos momentos que vivemos. Foram muitos. Certamente ficará na minha boca um gosto amargo, pois me lembrarei de você dizendo "para sempre" enquanto não acreditava no que dizia. Mas eu nunca me importei, porque a ideia de passar a vida ao seu lado me fazia bem, ainda faz.

Não quero acreditar que é o fim, isso me destrói. Mas a cada vez que você aponta um erro na nossa relação eu sinto um maldito nó na garganta que me faz enxergar o fim da linha que eu não quero ver. Por que você faz assim? Por que suscita em mim tantas esperanças para depois me fazer sentir como apenas mais uma pessoa comum? Eu só quero poder sonhar com você. Só quero poder te beijar em todas as viagens que eu planejei na minha mente. 

Então o que eu preciso pra provar que você é importante e quero passar mais tantas primaveras ao seu lado? Só deixa eu te mostrar que poema bonito você faz no meu peito. E fica, fica pra me inspirar, me bagunçar e não ter vontade de te largar. Me deixa construir o mundo que eu sonhei com você.

Eu não te prometo a perfeição nem um castelo de rosas, mas eu te prometo que enquanto houver amor tentarei sempre cultivar o melhor de mim. Às vezes meus medos irão transparecer, e você já sabe, e ainda verá o quanto sou frágil. Mas também sou teimosa, e luto pelo que acredito. Se insisto tanto em nós é porque creio na força desse sentimento. Mas se amanhã eu acordar, e você for apenas lembrança, só quero que saiba que jamais senti algo tão forte por alguém, e que mesmo em meus esboços, você foi minha poesia mais linda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário