10 motivos para assistir “The end of the f***ing world" - Do papel para o mundo

19 de janeiro de 2018

10 motivos para assistir “The end of the f***ing world"

No início deste mês a Netflix disponibilizou em seu catálogo a série "The end of the f***ing world", original do canal britânico Channel 4. Baseada nos quadrinhos de Charles S. Forsman, conta a história de dois adolescentes frustrados, que juntos embarcam em diversas aventuras, a maior parte delas bem perigosas. É como se eles estivessem sempre a um ponto do fim, encrencados com suas escolhas.

James e Alyssa estão bem longe de serem perfeitas almas gêmeas, mas ambos se encontram no tédio de suas vidas. Ele se acha um psicopata, e a todo momento flutua em sua mente o desejo de matar alguém. Para isso anda sempre com a faca que ganhou de seu pai, no aniversário de 13 anos. Ao conhecer Alyssa vê nela a vítima perfeita. 

A jovem não aguenta mais conviver em sua casa, sobretudo por odiar seu padrasto, com quem mantém uma relação nada sadia, estruturada à base da ironia, marca registrada de Alyssa. Ela não suporta a monotonia da cidade em que vive, e está o tempo todo ocupada em fazer as pessoas não gostarem dela

A série faz você refletir, e nem sempre é preciso que isso ocorra através do drama somente, ela mostra que com humor é possível fazer uma crítica social e questionar os rumos das nossas vidas, que é tecido desde a infância

Trilha sonora envolvente
Composta pelo co-fundador do BlurGraham Coxon, a trilha sonora da série serve de complemento para o texto e ação dos personagens. 
Personagens complexos
Na pele de James e Alyssa, os atores Alex Lawther e Jessica Barden fazem o público se apaixonar pelos personagens, muito bem construídos pela riqueza de detalhes em suas personalidades, o que faz a gente torcer por eles, mesmo eles não sendo os "mocinhos". 
Duração curta
Quem gosta de maratonar série vai amar assistir esta, já que ela tem em seus 8 episódios uma média de apenas 20 minutos. 
Semelhanças com a realidade
Como na vida real, James e Alyssa têm um propósito, assim como eu, e provavelmente você. Eles querem se descobrir e para isso vão atrás do que acreditam. 
Fotografia de filme
A fotografia da série, composta por cores frias, ora cores quentes, é tão boa que a sensação é de quem assiste um filme.
Um texto muito bem escrito
Outra característica super positiva da série é seu texto marcante e repleto de frases que dá vontade de anotar, como: "pessoas não são respostas, são perguntas", dita pela Alyssa. 
É muito mais do que um romance adolescente
Para quem pensa ser esta apenas mais uma história de amor adolescente, um aviso: está enganado. O envolvimento entre James e Alyssa acaba sendo uma consequência da relação de conflitos por quais ambos passam, porém a série foca muito mais em suas personalidades problemáticas. 
Toca em assuntos importantes
Depressão, relacionamento abusivo, pais negligentes e falta de empatia são alguns dos assuntos que permeiam a série. 
Faz você refletir
É impossível assistir "The end of the f***ing world" sem se fazer algum questionamento. Qual o seu vazio existencial? Você está satisfeito com a sua vida ou lhe falta algo? 
A série é descontraída mesmo ao abordar a violência
Por se tratar de uma série absurdista dramática de humor, conseguimos arrancar boas risadas com os personagens (não só os protagonistas), mesmo quando há a abordagem de violência. Isso é possível em muitas cenas graças ao excesso de ironia e trejeito nas atuações. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário