Resenha do filme: Lady Bird - a hora de voar - Do papel para o mundo

19 de março de 2018

Resenha do filme: Lady Bird - a hora de voar

"Lady Bird - a hora de voar", indicado a cinco oscars, é um filme sobre descobertas, a começar pelo nome da personagem principal, que se declara "Lady Bird", mas na verdade se chama Christine. A jovem, de 17 anos, está no auge do encontro com si próprio. Sonhadora e obstinada, ela vai atrás do que quer. Seu maior sonho é ingressar numa faculdade longe de Sacramento, onde vive, na Califórnia. Sua fome é de cultura, artes e oportunidades, aspectos que ela não consegue enxergar onde mora. 

Dona de uma personalidade forte, acaba por travar desentendimentos com a sua mãe, que não se vê nem um pouco contente com os sonhos da filha, sobretudo no que diz respeito à ideia dela querer morar longe. Sabe quando te dizem que você reclama demais pois já tem muito? Então, Lady Bird nunca está satisfeita, e ela assume isso. Sabe que às vezes é ruim esperar demais das pessoas, mas também sabe que para conquistar seus objetivos precisa ser sincera com o que sente. Apesar de tudo, das brigas e indiferenças, é capaz de defender a sua mãe ao justificar que ela a ama. No fundo, é falta de carinho materno o que a jovem sente.
É interessante observar como Lady Bird se descobre ao longo de suas experiências. Em dado momento ela começa a namorar Danny, um doce garoto. Porém, o flagra beijando outro. E eis que termina a relação. Mas ela não se deixa abalar, e logo está envolvida com Kyle, um músico popular não muito sincero por suas atitudes. Bem, o relacionamento também não dá muito certo, e mais uma vez ela se vê sozinha. Definitivamente, esse não é um problema. Estar ao lado de alguém por estar não combina com a liberdade cravada em sua alma. Um exemplo disso é visível quando ela se afasta de Jenna, uma garota por quem tinha se aproximado apenas por achá-la descolada. Esvaziada de sinceridade e lealdade, ela volta a andar com sua verdadeira amiga, Julie. É nesse momento que o filme adquire certa poesia. Vemos as duas juntas dançando no baile da escola, rindo e felizes com seus vestidos. Uma figura masculina não se fez presente e nem necessária neste momento da vida de ambas. 
Acho importante ressaltar aqui que não, Lady Bird não é uma personagem perfeita em suas características humanizadoras. Ela é egoísta, teimosa e como todos nós, errante. Mas são exatamente essas peculiaridades que tornam a protagonista forte e real. Em uma das minhas cenas preferidas, sua mãe diz a ela: "quero que você seja a melhor versão de você", e a garota responde, intrincada com a sua própria sinceridade: ''e se esta já for a melhor versão?". É claro, a mãe fica sem palavras, e o telespectador também. Em letras minúsculas podemos traduzir a frase de Lady Bird com as seguintes palavras: o nosso melhor não necessariamente vai ser o melhor para o outro. Às vezes o que nós mesmos entendemos como perfeição pode não ser perfeito para o outro, e aceitar isso é idealizar menos e consequentemente, evitar doses de frustração. Enfim, Lady Bird nos ensina a ir atrás dos nossos sonhos, desafiando a nós mesmos.


Ficha técnica

Título: Lady Bird - a hora de voar 
Dirigido por: Greta Gerwig
Estreia: 15 de fevereiro de 2018 (Brasil)
Duração: 1h 35 min
Classificação: 16 anos
Gênero: Drama, comédia
País de origem: Estados Unidos
Elenco:Saoirse Ronan, Odeya Rush, Timothée Chalamet, Laurie Metcalf, Lucas Hedges, Kathryn Newton, Beanie Feldstein

Nenhum comentário:

Postar um comentário