5 personagens femininas com representatividade em séries - Do papel para o mundo

6 de abril de 2018

5 personagens femininas com representatividade em séries

Que existe uma opressora desigualdade entre homens e mulheres nós já sabemos, certo? Que recebemos menos mesmo ocupando os mesmos cargos, sofremos com o machismo e misoginia e ainda com a falta de representatividade (sem estereótipos e sexismo) nas produções cinematográficas nós também já sabemos, certo? 

Fonte: http://nodeoito.com/mulheres-em-hollywood/

Pois então, agora você deve estar se perguntando: o objetivo deste post é dizer o quanto somos sofredoras? Não mesmo, muito pelo contrário. Porém, acho necessário explicitar o quanto ainda temos que lutar, pois precisamos avançar e muito para que seja possível uma equidade de gêneroO objetivo deste post é enaltecer mulheres que de algum modo representem outras mulheres. Como? Através de personagens femininas de séries que eu amo e é bem capaz de você também amar. 

Quantas vezes já não nos inspiramos em alguém ou na história de alguém? Às vezes são personagens, músicas ou livros que têm o poder de nos fazer acreditar e lutar por algo. A identificação simplesmente surge e é mais fácil se enxergar, e é quando nos enxergamos de verdade que entendemos nossa força. 

Importante: todas as séries estão disponíveis na Netflix. Espero que goste!

Samantha White
A aclamada série Cara gente branca, aborda as tensões geradas pelo racismo em uma universidade composta majoritariamente por brancos. Entre os alunos negros está Samantha, uma ativista ousada e destemida que apresenta um programa de rádio que questiona os privilégios brancos. Os questionamentos propostos são para todos, mas sobretudo para pessoas brancas, que de algum modo ainda não são capazes de entender os impactos do racismo na vida de uma pessoa negra.

Hanna Baker
Acho difícil você não ter ouvido falar dessa história, mas vamos lá. Hanna baker, da série Thirteen reasons why, é uma estudante de ensino médio como outra qualquer. Ela se apaixona, sonha e sente medo. Mas então qual o seu dilema? Bem, ela é uma vítima do bullying, que ao se sentir esgotada com a pressão sofrida após o vazamento de suas fotos íntimas, decide pelo suicídio. Além do peso da sua morte ela também deixa 13 fitas envolvendo todos os que de alguma forma contribuíram para o seu fim. Uma grande reflexão sobre como nossos atos podem ser cruciais na vida de outra pessoa. 

Sophia Burset 
Direto da cômica e dramática série Orange is the new black é que vem Sophia, uma prisioneira transexual negra, vivida pela atriz transgênero Laverne Cox. A personagem tem que lidar com o preconceito e a falta de informação sobre a sua identidade de gênero e até por parte de seu filho, que não aceita bem a mudança de sexo da mãe. Uma luta de uma mulher forte em uma sociedade que oprime o que é diferente. 

Carlota Rodríguez de Senillosa
Se você já conhece Las chicas del cable sabe que a série conta a história de cinco mulheres que se conhecem e se unem através do trabalho em uma central de atendimento. Se você ainda não conhece a série eu recomendo fortemente que conheça, porque ela dá um show de empoderamento e sororidade já nos anos 20, tem uma trilha sonora maravilhosa, etc. Mas vamos ao que interessa: das cinco personagens Carlota é a mais "moderna". Ela é super feminista e luta pela liberdade sexual. Seu pai é um militar que a quer sempre aos seus olhos e por isso Carlota reprime muitas vezes os seus desejos, mas uma hora ela entende que precisa trilhar seu próprio caminho. No percurso, acaba conhecendo Sarah, com quem descobra sua bissexualidade

Kate Messner
Kate é uma tímida adolescente do ensino médio. Filha do diretor, prefere não demonstrar afeto com seu pai pelos corredores do colégio. Ela vive uma fase de descobertas e reconhecimento do primeiro amor. Porém... se vê apaixonada por uma garota, o que gera nela diversos conflitos e questionamentos até ela descobrir que sim, uma menina pode amar outra menina, e isso não é loucura. A aceitação de uma sexualidade fora do padrão heteronormativo pode ser difícil, mas quando acontece é libertador.

Gostou deste post? Se identifica com alguma das personagens? Então me conta!

Nenhum comentário:

Postar um comentário