Por que nunca somos bons o suficiente? - Do papel para o mundo

15 de maio de 2018

Por que nunca somos bons o suficiente?

Viver é um troço complicado. A gente acorda, levanta e encara um mundo, de olhos bem abertos. Faz escolhas, se arrepende, mas e daí? Não estamos vivos? Então, a mudança faz parte, e é com ela que evoluímos. 

Porém, tem algo que parece não mudar, e se perpetua de geração em geração. É a nossa briga com nós mesmos, que nos faz bagunçar as gavetas em busca de algo que vestir, bagunça a casa no intuito de arrumar, mas o que mais bagunça, e aí bagunça mesmo, é lá dentro da gente. Por que nunca somos bons o suficiente? 

Por que estamos sempre arrumando desculpa para não fazer o que queremos? Por que estamos sempre cismados com o nosso cabelo e com a dieta que deixamos de fazer? Pra quem nos arrumamos? Será que é pra nós mesmos? Mas se é, por que quando estamos a sós nos permitimos andar de chinelo, usar touca na cabeça e desfilar pela casa com a roupa mais furreca? 

Então eu pergunto, relutante com a resposta: nunca somos bons o suficiente para nós mesmos ou para o mundo? Que mania é essa, naturalizada por todos de que temos que nos fantasiar para viver em sociedade? Passa o batom ao sair de casa, chega em casa tira o batom, coloca o melhor sapato, chega em casa taca o sapato na parede. Que lógica criamos para as nossas ações? Sermos mais belos diante do mundo? Então talvez saibamos a resposta. Não é que nunca somos bons o suficiente, é que nunca achamos ser bons o suficiente para o mundo

Nenhum comentário:

Postar um comentário