Três documentários com temática LGBT para assistir hoje - Do papel para o mundo

21 de maio de 2018

Três documentários com temática LGBT para assistir hoje

O dia 17 de maio é considerado o Dia Internacional Contra  a Homofobia. A data se deve a um caráter de avanço, pois neste mesmo dia de 1990, a Organização Mundial da Saúde (OMS) excluiu a homossexualidade da Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde (CID). 

Entretanto, até os dias atuais, em pleno século XXI, em pleno 2018, ainda vemos dados alarmantes de assassinatos que envolvem a comunidade LGBT. Linchamentos, perseguições e discursos de ódio ainda são práticas ocorrentes. A escassez de políticas públicas de amparo às múltiplas sexualidades é uma realidade social que faz parte das pautas de luta pelos direitos da população LGBT. 

Não é possível aceitar que o nosso país, o Brasil da diversidade, é o país que mais mata pessoas não heteronormativas no mundo. Logo mais a Copa do Mundo chega e eu me pergunto: ainda falaremos de Matheusa? E Marielle? Será a idolatria por ídolos do futebol o nosso passatempo enquanto mais e mais mortes devido à intolerância são praticadas, banalizadas e naturalizadas? Esperamos e lutamos para que não. 

Abaixo seguem alguns documentários para um mínimo de esclarecimento sobre o que é ser um LGBT e quais os enfrentamentos. 

Movimento LGBT
Um documentário que fala sobre aceitação de si próprio e a homofobia no Brasil a partir do olhar de dois jovens - João, estudante de Direito de 18 anos e gay, e Rafaela, musicista de 17 anos e lésbica. Ambos levantam o questionamento do porquê da homofobia não ser tratada como crime no Brasil. 

"Eu quero andar de mão dada com o amor da minha vida como qualquer outra pessoa" - Rafaela


#SOMOSLGBT: um documentário sobre visibilidade
Elaborado por alunos de Comunicação Social da FABICO/UFRGS, aborda diversas fases do processo de luta e preconceito sofrido pela comunidade LGBT. A falta de políticas públicas para a população trans, que tem que reivindicar o mais básico dos direitos, que é a identidade, mitos sobre a bissexualidade e a importância das pautas LGBTs no Congresso Nacional são discutidos. 

"Nós temos que sair dos espaços da noite e ocupar os espaços do sol, ocupar os espaços do dia" Giovanni Mangia, membro da ONG Diversxs

Transgêneros na mídia - documentário sem rótulos
Discute a representação da pessoa trans na mídia e na sociedade, visibilizando comentários de quem de fato sofre com o preconceito. Retificação de nome social e o assassinato cruel de pessoas trans que são mortas não por tiros, mas geralmente por pedradas, pauladas e corte de órgãos genitais são alguns dos assuntos debatidos no documentário, além de falar sobre hipocrisia e a violação diária de direitos humanos para as pessoas trans. O documentário ainda lembra que 90% da população trans se prostitui , o que ocorre devido à falta de empregos para essa comunidade. 

"É muito complicado mudar o nome, porque não se tem uma lei: "ah, nesse caso pode, nesse caso não pode". Fica  a critério do juiz, e essa decisão é baseada na opinião dele." Luan Munhão Serra, aprendiz.  


"Consideramos justa toda forma de amor" - Lulu Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário