Nostalgia dos tempos de infância - Do papel para o mundo

8 de junho de 2018

Nostalgia dos tempos de infância

Eu sei que muitos sonham em ganhar na loteria, mas se eu pudesse realizar um desejo hoje eu escolheria voltar a ser criança. Pois só assim eu teria de volta toda a paz que havia em meu peito. Os pés descalços ao correr na pracinha, a blusa suja de sorvete e a mania de inventar brincadeiras. O passado tem gosto de nostalgia

Mas eu sei que ele não volta, assim como as folhas secas do outono ficam para trás na chegada do inverno. Sei que avistar a vida pela janela não me trará de volta os anos nem a oportunidade de revivê-los. Já não sou mais aquela menininha que fazia roupa para as bonecas e rabiscava o futuro no papel.

Mesmo assim não deixo de pensar em como seria se a infância me fizesse visita. Uma visita mesmo que passageira para um chocolate quente às três da tarde. Talvez eu usasse a minha massinha de modelar eternamente guardada na esperança de um dia ser tocada. Talvez eu esquecesse que tenho uma agenda repleta de compromissos que precisam ser cumpridos. E nesse tempo de liberdade eu seria livre para sonhar.

Não choraria pelos amores que se foram ou pelas voltas que a vida dá. Não teria contas a pagar nem insônia. Seria apenas eu e meus lápis de cor a pintar o arco-íris, e a maior decisão seria em qual momento apontar o lápis. Porém, ao invés disso, apenas sou capaz de viajar na nostalgia, que me leva a palavras ansiosas, curiosas. Ainda assim, enquanto escrevo, rompo com os muros do tempo e volto a ser criança. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário