O destino é agora - Do papel para o mundo

13 de agosto de 2018

O destino é agora

Nós fazemos o nosso próprio destino
Hoje eu sinto que preciso escrever. Sim, eu sinto. E por sentir, eu escrevo, é isso o que me move - o que me conecta com as palavras. Acordei pronta pra me desafiar, mas no meio do dia me perdi. Eu errei. Foi coisa boba, sabe? Boba para os outros, não pra mim. Mas agora estou aqui, inspirada a tentar algo novo que me faça sair do chão, que me faça voar com as asas que tenho, mas costumo esconder de mim.

Boa parte da nossa vida é gasta em cumprir rotina. Não, eu não vejo problema nisso. Tudo bem acordar, se arrumar e sair para o trabalho. Geralmente é o que as pessoas fazem. A questão que pode vir a se tornar um problema está em - Você está pronto para acordar? Quer se arrumar ou apenas age por obrigação? Você quer sair? E por último - o seu trabalho te faz bem? Ele te realiza enquanto profissional? São essas perguntas, ou melhor, as respostas para elas, que nos dizem se estamos ou não no caminho certo

Eu tenho feito muitas reflexões em torno da minha existência, e uma das mais recentes foi - existe mesmo destino? Fiquei pensando e acho que cheguei a uma conclusão. Bem, ao menos estou satisfeita com ela até então. Sim, eu acho que existe mesmo destino. Mas não como as pessoas veem, não essa coisa romantizada, não essa coisa predestinada. Vejo o destino como um conjunto de decisões tomadas que nos direcionam a um lugar. Entende? Não se trata de passado, daquilo de que "o que for pra ser será", mas do que iremos fazer para que seja

Eu sei, às vezes é bom acreditar que não somos os responsáveis pela nossa vida. Que independente do modo como agimos já existe um final, um cardápio pronto sem a possibilidade de acrescentar novos ingredientes. Isso nos tira  a culpa, e se o desfecho nos desagrada, ao menos ainda sobra um motivo para julgarmos ele - o destino. 

Okay, quem queremos enganar mesmo? Não precisamos fazer da nossa vida um teatro, nem seguir um roteiro. No máximo a bula de remédio, por causa das contraindicações e efeitos colaterais. Mas sinceramente, nem isso seguimos. Então o que você me diz sobre trilharmos o nosso próprio caminho? Agora

Nenhum comentário:

Postar um comentário