Eleições e fake news: uma mistura azeda - Do papel para o mundo

5 de outubro de 2018

Eleições e fake news: uma mistura azeda

Eleições e fake news: uma mistura azeda
Olá, olá! Cá estou eu novamente para falar sobre política. Sorry, mas o cenário pede que falemos mais e mais. São os nossos direitos e as nossas vidas que estão em jogo. Não é hora de se calar. No próximo fim de semana teremos um encontro importante com a democracia. É hora de escolher quem serão os nossos representantes.

Então eu te pergunto - qual é o modelo de Brasil que você acredita? Seu foco é a economia? A saúde? A segurança pública? O respeito aos direitos humanos? Todos os itens anteriores? Pois saiba que devemos acreditar que é possível um país com mais qualidade de vida, em que cada um de nós possa desfrutar igualmente o acesso a um prato de comida, um hospital, uma cama pra dormir. Mas nada disso poderá ser feito sem a nossa participação. 

Agora faço outra pergunta - como anda a sua bolha no Facebook? As discussões estão alinhadas com o seu pensamento? Sim ou não, não importa. Um debate saudável não é feito a partir de iguais, que se reconhecem. Porém, há algo sim elementar que precisa e muito da nossa atenção - a veracidade das informações que circulam nas redes e demais canais de comunicação. Em período de eleição as chamadas fake news se manifestam como água fervendo na panela. É candidato que inventa mentira de seu concorrente, é eleitor que espalha notas falsas para favorecer a sua opinião e consequentemente interferir no resultado das urnas.

Estamos em fogo cruzado, e qual o nosso papel diante disso? Checar a informação que nos chega! Seja ela vinda de um amigo, um desconhecido ou replicada nas redes sociais e grupos no whatsapp. Esquece o meme que diz que se tá na internet é verdade, pois quem faz a internet somos nós. Nem por ingenuidade nem por falta de vontade podemos aceitar todas as notícias que nos chegam como verdades absolutas. Não sejamos passíveis de manipulação!

Também não acredite no discurso de que uma informação falsa não resulta em nada. Isso sim é uma fake news, e olha, elas contribuíram potencialmente para a ascensão do então presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. O mesmo está ocorrendo nas eleições brasileiras, substancialmente pela polarização entre esquerda e direita. A mistura é azeda, e cabe a nós um olhar de lupa. Se você lê uma informação e desconfia dela, se questione. Se você nunca se questiona, passe a questionar. E se vê uma fake news sendo replicada nos grupos de família, amigos ou mais quem for os seus contatos, não ignore, busque um diálogo, problematize. Um futuro se aproxima, e o caminho somos nós quem fazemos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário