A vida que me faz - Do papel para o mundo

12 de dezembro de 2018

A vida que me faz


A vida que me faz
Longe das linhas que me movem
Abaixo do céu e crente na lua
Não há motivo para perder a cabeça
Nem chorar aos prantos e enrugar a face

Pois bem, não há
E é por isso que invento os meus próprios motivos
Vivo e morro no meu mundo
Ando e com os meus passos estrago o meu caminho

Loucura? Não
É que a vida me invade por onde não sei
Me cega os olhos e faz sorrir meus lábios
Quanta discordância!

Eu não quero o breve, o morno ou a leveza
Se é pra viver que eu me entregue ao peso das estrelas
E que com coragem eu encare a dor, a tristeza e a solidão
Para que quando eu morra, enfim eu saiba que vivi

Bárbara Amorim

Nenhum comentário:

Postar um comentário