Aos poetas - Do papel para o mundo

5 de dezembro de 2018

Aos poetas

Aos poetas
Chorei um rio de saudade
Me afoguei
Perdi o barco
Não queria viver assim
Repleta de um vazio tão cheio

Mas me vale a ausência da vida
do que a ferida estancada no peito
E essa não morre nunca!
Insiste em me ruir

Já até fiz meu testamento
E assinei com lágrimas
Deixarei a solidão de presente para os ingratos
que me fizeram sofrer

Mas o pior que tenho a dar
deixarei para os poetas
Esses que inventaram o amor

Bárbara Amorim

Nenhum comentário:

Postar um comentário