Um navio a naufragar - Do papel para o mundo

19 de dezembro de 2018

Um navio a naufragar


Saudade no peito
É que nem tiro no coração
Mata e faz sangrar
É doloroso e devastador

Uma gota de você
E eu me perco de mim
Agora sou um navio
A naufragar

Mas espero por um bote
Um refúgio para acalentar a dor
Que me massacra, me derruba
E faz encher os olhos d’água

Um abraço serve de amparo
E como quem para num canto qualquer
Eu espero, em febre
Pelo enlace teu

Bárbara Amorim

Nenhum comentário:

Postar um comentário