Monopólio do amor - Do papel para o mundo

2 de janeiro de 2019

Monopólio do amor


Amar é uma coisa certa
Amar é uma coisa errada
Amar rejuvenesce
Amar te mata

É possível definir o amor em uma dúzia de antônimos
Inclusive, é possível dizer que tal ato de sentir nem deveria existir
E há quem diga
Há os céticos, os morais e os ignorantes
Há todos eles em vários barcos e em um barco só

Pessoas apaixonadas tem lá suas interrogações e reticências
Todos temos nossos pontos, mas...
Como pode alguém amar e com um gesto mínimo que seja, impedir o outro do mesmo?
Quando começou o monopólio do amor?

Eu não entendo
Amanhã vou acordar e também não vou entender
E bem, se neste exato instante em que me lê eu sou a opressora,
meu bem, defina seu lugar no barco

A vida é agora, faça a festa
Compre seus pertences, suas máscaras
Se vista de preto, branco, azul, verde e amarelo
Se enrole nas suas cores
Mas não me impeça de amar

Bárbara Amorim

Nenhum comentário:

Postar um comentário