Como ter gratidão em meio ao caos - Do papel para o mundo

1 de fevereiro de 2019

Como ter gratidão em meio ao caos

Como ser grato em meio aos problemas
Olá, tudo bem? Janeiro finalmente chegou ao fim, e lá se foi o primeiro mês do ano. Geralmente as pessoas fazem metas, iniciam novos hábitos, mudam o visual. Tudo isso é muito bom, mas me diz uma coisa: pelo que você é grato? Para e pensa um pouco nesses 31 dias e veja quais foram as coisas que te marcaram, o que te fez sorrir e te inspirou. Você consegue fazer isso? É fácil? Difícil?

Pois bem, escolhi escrever sobre gratidão hoje porque fiz uma análise dos meus últimos comportamentos. Minhas palavras e pensamentos estavam carregadas de negatividade, e eu sei que essa não sou eu. O fato é que eu ando acelerada, cansada e um pouco desesperançosa com alguns seres humanos. E aí o que eu faço? Deixo pra lá? Não mesmo, eu simplesmente insisto, tento conversar, ser paciente. Mas nós sabemos, paciência tem limite, e ter empatia com quem não faz a mínima questão de mudar cansa. É nessa hora que vem o desgaste, físico e mental. 

Eis que chega um ponto em que acreditar parece não fazer sentido, mas lá no fundo, a esperança ainda brota. Eis que a sanidade mental já não é a mesma, ficou pra segundo plano, no plano de saúde vencido. Nesse jeito de viver as cores se perdem em meio à escala de cinzas, e o que falta é gratidão. Se foi o tempo, o olhar sereno e a vontade. A nuvem passou, entrou no quintal de casa e decidiu ficar por alguns dias. Mas pareceu uma eternidade, e dia após dia as horas se arrastaram lentamente. 

Sei que eu poderia ter feito mais por mim, porém, enquanto sentia as coisas fora do lugar, sentia também a falta de algumas pessoas pelas quais eu precisava. Do pouco que tive delas ouvi tanto "tenha paciência", "é questão de tempo", "dialoga mais", que não sobrou uma linha pra me dizerem "você precisa cuidar de você". Faltou um elogio antes de me incentivarem a salvar o mundo. Eu juro que tentei, mas me parti tantas vezes que agradecer pelo belo à minha volta parecia patético, pois não soava real

Então, me permiti sentir, sobretudo os espinhos. Só assim pude me enxergar como numa lupa, e assim veio naturalmente a gratidão. Vi que havia mais, bem mais, além do que me agonizava. Às vezes a gente só precisa parar de fingir que está tudo bem e que somos fortes em tempo integral. Ninguém é. Entretanto, vale a pena buscar beleza em nosso caos

Agora me conta, vai: pelo que você é grato nesse primeiro mês de ano?

Nenhum comentário:

Postar um comentário