Insônia - Do papel para o mundo

6 de fevereiro de 2019

Insônia


Insônia
Eu pedi pra noite não lembrar você
Mas a insônia veio e te trouxe
E me fez acreditar ser possível um retorno
E assim percebo como sou patética

Jamais soube pontuar frases
Despedidas sempre vi nos filmes
Mas por que dar à vida um semblante fictício?
Seria eu personagem de um roteiro?

O que estou fazendo comigo mesma?
Por que não consigo dormir?
Já não vivo sem remédios
Adquiri novos horários

Tenho medo da sombra
Mas nada me assombra tanto quanto você
que tem gosto de café amargo
ingerido às cinco da manhã

Me pergunto o que fazer com tantas olheiras
Como voltar a dormir?
E não te ver, não pensar em você
Não te querer por um único segundo

Bárbara Amorim

Nenhum comentário:

Postar um comentário