Encaixe poético - Do papel para o mundo

20 de março de 2019

Encaixe poético

Encaixe poético
Teu olhar em mim dispara
Como quem canta fogos de artifício
Não ouço tua voz, nem teu ruído
Mas falo teu som

Você me desdobra, reconfigura
E eu quase não entendo
Não porque deixei de te ler
Mas porque esqueci de me ter

Desconectei os cabos de mim mesma
Perdi meu manual de amor próprio
Atropelei meus sonhos e certezas
Fui bandida por me roubar 

E de nós restou poesia
Sempre disposta a escrever o caos
Receptiva, perceptiva
Se encaixou em mim como ninguém jamais fez

Bárbara Amorim

Nenhum comentário:

Postar um comentário