A pausa do tempo - Do papel para o mundo

3 de abril de 2019

A pausa do tempo


Do papel para o mundo
De quantos dias preciso para fazer da dor um soneto de alegria?
E dos olhos que saem lágrimas ver florir um sorriso
Qual o tempo que separa a vida do fim
e do fim faz a vida?

Me atrevo a pensar em silêncio
Como já não fazem mais por aí
Sinto o frio brotar
Mas eu não me afasto

Sou filha do vento que de tempo em tempo
me leva a diferentes solidões
Nenhuma pior das que invento com minhas escolhas
Nenhuma mais dolorosa

Estanco o veneno que em mim rasga o peito
E adormeço na espera
Silencio o hoje em busca do amanhã
Pois do presente já não tenho e não quero muito

Bárbara Amorim

Nenhum comentário:

Postar um comentário