Ai de nós - Do papel para o mundo

19 de junho de 2019

Ai de nós

Bárbara Amorim
Teu corpo se foi
Teu toque ficou
Leve e marcante em meu corpo
Ficou como rastro em mim

Você achou que podia partir
Mas não depois daquela manhã
Não depois de todos os beijos e metáforas
Não depois do abraço, do amasso

Ai de mim e ai de ti se não fôssemos nós
Se não fôssemos mais que detalhes emaranhados no lençol
Ai também da poesia
Que deveria ser reescrita

Como ousa?
Como ousa dizer que não me importo com o que me importo todos os dias?
Esquecimento? Atrevimento?
Não sei que palavra usar
Não sei se todas me arranham a garganta

Bárbara Amorim

Nenhum comentário:

Postar um comentário