Ser nuvem - Do papel para o mundo

17 de julho de 2019

Ser nuvem

Do papel para o mundo
Essa mania de passar por mim
feito trator ainda vai me matar
Como já me mata dia após o outro
só que de forma definitiva

Um dia abrirei os olhos e hei de gritar
Pela vitória de ter dormido
mesmo que às duas da manhã
Pelo vazio de ter acordado
e não saber para onde ir

As amarras de si mesma cansam
Ultrapassam fronteiras que te enforcam
E para quem se permite ser nuvem
essas desmancham

Aos poucos já não toco o céu
Mas sinto o chão tremer
É como um tênis e seu cadarço frouxo
Se desfaz na minha frente
enquanto viro gota

Bárbara Amorim

Nenhum comentário:

Postar um comentário