A pausa é necessária pra nos descobrirmos - Do papel para o mundo

2 de agosto de 2019

A pausa é necessária pra nos descobrirmos

Do papel para o mundo
Chega um momento da vida que a gente passa a olhar demais a janela. Não pra olhar o tempo lá fora ou ver o trânsito de pessoas, mas pra se perguntar o que será do amanhã. É tanto "será" na nossa lista pessoal que esquecemos que o presente mesmo da vida é o agora. Mas nossa mente elétrica não para de nos atordoar com a imprevisibilidade do tempo. Terei o trabalho dos sonhos? E meu lar com almofadas azuis e frases na parede? Não quero que seja apenas uma ilusão.

São muitas questões para uma só cabeça, até que chega um dia, um certo dia, que elas viram manias, vícios quase que incontroláveis. Nesse momento a gente deixa de assistir aquela série que amamos pra batalhar pelo nosso futuro. Ao invés de abrir a Netflix, a gente abre a planilha do Excel. Um dia sim e outro também. Mas tudo bem, né? Um dia serei recompensada por tudo isso, por essa voraz matança do tempo. É o que a gente pensa pra continuar nos sacrificando.

É lógico que a gente deve fazer algo pra que as nossas metas, como aquelas que criamos no início do ano, virem de fato realidade, mas até quando é saudável nadar por esses objetivos? Será que vale encarar todas as tempestades pra chegar lá onde você quer chegar? Às vezes sim, às vezes não, mas vale refletir, sabe? Não dá pra simplesmente viver numa produtividade automática sem questionar os nossos passos. Se permita pausar e olhar pra dentro.

Não se desgaste por aquilo que você desconhece, mas sim observa e entenda suas motivações. O quanto elas ainda estão vivas? Tudo bem mudar a rota milimetricamente calculada por você um dia, mas que hoje já não soa pela ótica do sentido. Esse não foi um texto planejado, eu apenas me permiti fugir da lista de afazeres que criei ao acordar. Não estava certo fingir que todas aquelas frases ansiosas por ação me faziam bem. Eu já sabia horas antes de tomar uma atitude que a verdade havia se perdido na pressa pelo fim, mas eu nada fazia além de agir feito robô. Entretanto, após muito persistir fui invadida por uma coragem libertadora. A pausa é necessária pra nos descobrirmos

Nenhum comentário:

Postar um comentário