It: Capítulo 2 – mais violência que terror - Do papel para o mundo

13 de setembro de 2019

It: Capítulo 2 – mais violência que terror


It Capítulo 2 – mais violência que terror
Olá, tudo bem? Se você é uma pessoa antenada no mundo do cinema, deve saber que estreou It: Capítulo 2, e amante do primeiro filme que sou, fui animada conferir! Bem, o que posso dizer é que eu esperava mais. Porém, não deixei de ser surpreendida! Não disse como...

A história se passa, dessa vez, na cidade de Derry, 27 anos após o terror gerado pelo palhaço Pennywise, e marca o encontro dos amigos que formavam o Clube dos Otários. A nostalgia continua sendo um elemento importante na trama, que traz diversas cenas dos amigos no passado, lembradas por eles, agora adultos. A fotografia não deixa de ser uma experiência à parte para os cinéfilos, que somada aos efeitos sonoros, captam a essência da obra, original, de Stephen King

Não consigo dizer que It: capítulo 2 não é um bom filme, pois apesar das mudanças devido à passagem do tempo, a atmosfera ainda é a mesma, tanto que décadas depois de todo o ocorrido na cidade, Beverly, Bill, Richie, Eddie e Ben permanecem com as suas características principais da infância. O problema da coisa, e aí não me refiro ao Pennywise, é que o filme traz questões problemáticas que envolvem minorias, e não podemos ignorá-las como se não interferissem no longa-metragem. 
It: Capítulo 2 – mais violência que terror

*A partir daqui, contém spoilers*

No quesito desnecessário, a gordofobia é a marca mais aparente em It. Há mais de uma cena feita especialmente para gerar riso no telespectador, reforçando estereótipos que Hollywood ainda não desapegou. Uma das cenas mais fortes, bem no início do filme, envolve a agressão de um casal composto por dois homens, que além de serem humilhados verbal e fisicamente, em uma passagem um tanto quanto lenta para o enredo da trama, termina com um dos rapazes espancados sendo jogado do alto de uma ponte. Pensa que acabou? Não! Um pouco depois, Bev leva uma surra do seu marido abusivo (assim como seu pai), que fica com ciúmes após uma ligação telefônica. Pelo que foi destacado, devemos nos questionar: será que algumas cenas foram realmente necessárias para a história do palhaço ou não passaram de espetáculo sensacionalista?
It: Capítulo 2 – mais violência que terror

De forma geral, acho que o filme se direciona mais à violência do que ao terror. Alguns efeitos especiais poderiam ser mais assustadores, por exemplo. Em alguns momentos, a repetição de cenas com o intuito de nos assustar reduz seu impacto, pois já esperamos algo em meio à escuridão. A longa duração do filme (quase três horas) poderia ter sido melhor aproveitada, com cenas e diálogos mais lentos que agregassem ao roteiro, ao invés de expor a violência de forma intensa e sem desdobramentos de sentido.

Se você já assistiu o filme, me conta o que achou e qual a sua opinião sobre as cenas de violência?

Nenhum comentário:

Postar um comentário