Minha própria mentira - Do papel para o mundo

23 de outubro de 2019

Minha própria mentira

Poesia Minha própria mentira
Sufocada de tanto desdém que abrigo em mim mesma 
Me cerro, me aperto 
Invoco os meus demônios 
E prometo a eles lealdade 

A frieza me congela 
Tento ser casa
Viro apenas um abrigo qualquer 
E nem eu me abrigo mais

Meus lábios inventam um sorriso 
Mas os olhos não escondem a guerra travada no peito 
Desenho forçadamente a farsa que me rodeia

Timidez, solidão, ansiedade, depressão 
Já não sei a matéria que me faz 
Não encaro mais verdades, se eu sou minha própria mentira 

Bárbara Amorim

Nenhum comentário:

Postar um comentário