Manobras por você - Do papel para o mundo

13 de novembro de 2019

Manobras por você

Poesia Do papel para o mundo
Eu fiz manobras pra tentar te ver 
e te fazer caber dentro de mim
Mas você deu voltas no quarteirão
Só pra fugir

Eu resisti e inconsequente quis ficar
Enlaçada com essa solidão que me amedronta
E que eu tanto faço de casa

Aprendi a nadar no oceano dos seus olhos
Sem boia e de olhos fechados
Me fingi de grande no seu abraço apertado 
Me imprimi no seu mundo 

Vi as estações passarem mais lentas
E senti a angústia se cravar feito tatuagem no peito
Eu morri enquanto achei que vivia
Porque de algum modo a ilusão alivia

Bárbara Amorim

Nenhum comentário:

Postar um comentário