O tempo há de me achar - Do papel para o mundo

6 de novembro de 2019

O tempo há de me achar

Do papel para o mundo
A guerra que me move
não me engole
Me atira em braços alheios
mas eu volto pra mim mesma

Sufocada, embriagada
Dançando de bar em bar
Eu aposto a minha sorte
E rasgo as certezas que me prendem

Me atiro no escuro
Me encontro de olhos abertos
Lúcida a admirar o nascer do sol
Me escrevo e me narro

Ferida, esmiuçada
Esganiçada de tanto gritar
Corro pelas ruas em busca de ar
Mas sei que nada me espera
se eu não procurar por mim mesma
O tempo há de me achar

Bárbara Amorim

Nenhum comentário:

Postar um comentário