O amanhã despercebido - Do papel para o mundo

26 de março de 2020

O amanhã despercebido

Poesia Bárbara Amorim
De repente, o amanhã chegou mais depressa
Você passou por aquela vitrine mental e o avental já não estava lá
Foi rápido, num piscar de olhos o azul virou cinza
Lembra do céu? Então, parece que fechou
Amanhã talvez abra novamente, porém, ninguém sabe

Ah, sabe aquela sua amiga?
Aquela de cabelo curtinho
Então, parece uma Rapunzel
Disse que estava na hora de mudar
Atravessou a rua e mudou

Aliás, e você?
Faz tanto tempo que te vejo com essa cara
Não tem um sinal de ruga
De certo porque nunca sorri
Mas vai morrer enrugada de remorso

Certeza eu tenho sobre algumas coisas
Só algumas, claro
Muito poucas, eu sei
Mas são algumas

Ninguém nasce e no dia seguinte vira poeta
Tem que sentir, admirar, escrever e lapidar
a palavra como um diamante que ela é
Quem diz que o amanhã chegou de pressa está errado
Ele passou por aqui, pela gente
Foi a gente que não viu

Bárbara Amorim

Nenhum comentário:

Postar um comentário