Não há tempo para nada além do agora - Do papel para o mundo

11 de maio de 2020

Não há tempo para nada além do agora

Texto sobre o agora
Eu acabei de abrir a janela e, o que de incrível pode haver em algo tão simples e natural? Você pode se perguntar. Mas é que a janela estava fechada o dia inteiro, porque eu estava com frio, mas aí por curiosidade da vida lá fora, resolvi abrir. E eu chorei. Chorei feito uma criancinha porque, apesar de toda dor no mundo presente, a vida lá fora é tão linda e, isso é mágico. A beleza nos detalhes, o sol amarelo na intensidade exata que aquece sem queimar. Os pássaros que enfeitam o céu como numa orquestra muito bem ensaiada. Chorei pela incerteza de quando verei tudo isso novamente de perto e, por não saber quantos ainda terão esse privilégio ao fim da pandemia.

É como num jogo estratégico, mas não o suficiente pra saber as cartas exatas da vitória. Então nesse labirinto, me pergunto: de que lado estarei? E as pessoas que mais amo? Do lado dos que leem as notícias e choram? Ou o motivo da própria notícia? O que restará de nós quando virarmos essa página? O que levaremos? Uma bagagem de aprendizados? Copos de lágrimas? Apenas memórias que logo se tornarão cacos de vidro espatifados?

Mais uma vez, a poesia, hoje em forma de sol, me mostrou que não há tempo para nada além do agora. Só temos uma vida e, o que queremos dela? Já parou pra pensar que o que vemos nas nuvens tem muito dos nossos sentimentos? Guardamos angústias e alegrias que por aí se refletem. Agora, ao som de "Dope" da Lady Gaga, é óbvio que minha alma se estraçalha e, no espelho, próximo a mim, meu reflexo é de cansaço e, de medo. 

Entretanto, ainda há nuvens brancas feitas de algodão e um generoso tom de azul calmaria no céu. Você que me lê e eu que escrevo, estamos aqui, não estamos? O que isso significa? O que isso deve significar? Quais serão os nossos próximos passos? Talvez gritar bem alto. Talvez chorar debaixo das cobertas. Talvez escrever um poema maior que a carta de Pero Vaz de Caminha. Talvez apenas ser em nossa essência, com todo o amor que nos desenha

Nenhum comentário:

Postar um comentário