Eu Do papel para o mundo - Do papel para o mundo

13 de julho de 2020

Eu Do papel para o mundo

Do papel para o mundo
Eu Do papel para o mundo. Oi! Hoje completa 3 anos desde que comprei o domínio (o ".com.br") para escrever nesse espaço de muito amor. É, acho que não tem palavra que defina melhor minha relação com esse blog do que amor. Desde a elaboração, quando tudo ainda era só planejamento, sempre busquei dar o meu melhor pra criar um canal em que eu pudesse expor minhas ideias e, por que não, me expor? 

Bem, foi exatamente isso o que aconteceu. Com os anos, meus textos e poemas foram ganhando cada vez mais intensidade, fruto da pessoa que fui me tornando. Na vida, eu sou aquela que precisa gritar seus sentimentos, sobretudo quando eles engasgam na garganta! E se isso não acontece do modo convencional e vai pro mundo, eu grito, sem problemas, no papel. Às vezes até acho que ele costuma ouvir mais do que muita gente por aí, sabe?
Do papel para o mundo

A palavra é e sempre será essencial pra mim. Ela é transformadora. Através dela me percebo, me crio e me refaço. Quando me sinto profundamente sozinha, na companhia de mim mesma ou de fantasmas, costumo anotar frases que me surgem, rascunhar histórias, escrever poemas. Isso faz tanto sentido pra mim que, de algum modo, ao menos uma parte do meu ser é preenchida. 

No ato de escrever a liberdade se desenha. Não é preciso filtros ou palavras bordadas. Me narro crua e por vezes nua. Falo de amor, sexo, saudade e até mesmo da morte. Os parágrafos não me privam de ser quem eu sou, nem mesmo as estrofes. E é pra cá, pro blog, que eu trago boa parte dos meus pensamentos e sentimentos, pois nada sou sem estes. Até mesmo pra abordar temas complexos e que exigem substancial razão, como os que se elucidam pelo seu caráter machista, é necessário sentir, nem que seja raiva. A raiva me desloca para um ponto de ação, pois chega um momento em que enxergar, somente, as coisas como elas são já não faz mais sentido. É preciso agir em prol da mudança que queremos para o mundo. 
Do papel para o mundo Bárbara Amorim

Com essas reflexões e pedaços de mim, espero que você possa entender um pouquinho mais de como esse espaço virtual é enlaçado de afeto, construído e pensado para ser, constantemente, uma base de troca. Amo quando alguém aí do outro lado, me conta que um texto ou poema meu descreveu o que estava sentindo ou fez alguém refletir alguma coisa. Isso torna tudo mais significativo. Aproveito pra agradecer aqui se você já me conhece e gosta dos meus posts. Meu mais sincero obrigada! <3

Nenhum comentário:

Postar um comentário