Te sinto - Do papel para o mundo

2 de julho de 2020

Te sinto

Poema Te sinto


Na mensagem enviada, palavras foram deletadas
A falta de reciprocidade bateu no peito e disse: apaga
Obedeci, às vezes ouço a minha mente
Mas o coração que me incendeia, quem o silencia?

Me pergunto se os seus olhos também não ardem
Se a ideia de partida não te parte
Ou se pra você, já faz parte

Memórias de você ainda vivem em mim
Tanto que quando lavo os pratos após o almoço que você dizia gostar, 
paro e sinto 
Apenas sinto o seu abraço

De algum modo nostálgico e ingrato,
me aqueço na sua ausência repleta de lembranças
Nas casas que não moramos e nos filmes que jamais assistimos
Nos jogos não jogados e nos poemas (ainda) não escritos
Te sinto

Bárbara Amorim

Nenhum comentário:

Postar um comentário