Profundas como as dores - Do papel para o mundo

29 de agosto de 2020

Profundas como as dores

Poema sobre saudade
Quem é você?
Por que deixamos de ser?
Perguntas sobre nós ecoam pela garganta

Em um ato de coragem tenho ouvido músicas
que me levam até você 
Mas alguns, eu sei, chamariam de loucura
Talvez eu mesma chame em algum consciente calado

Você não sabe, mas essa noite foi turbulenta
Senti dores e me lembrei que assim como elas
também éramos profundas
Saudade veio e eu me salguei
Desanuviei o que guardava de mim mesma

Por muito pouco não te mandei mensagem 
Mas temi o que isso significaria
Será que estamos prontas para a leveza?
Já não sou capaz de morrer novamente

Pois bem, pensei na morte
e na dor antecedente a ela devido a essa ausência de palavras
Éramos grito, hoje me pergunto se podemos nos chamar de suspiros

Bárbara Amorim

Nenhum comentário:

Postar um comentário