Do papel para o mundo-Um blog de lifestyle com resenhas de séries, filmes, livros, moda, beleza, comportamento e muito mais

21 de outubro de 2019

Conselhos para guardar direto da página "Um cartão", no Instagram

outubro 21, 2019 0
Conselhos para guardar direto da página "Um cartão", no Instagram
Página Um cartão no Instagram
Oie! Tudo bem? Espero que sim, de verdade! O post de hoje é sobre uma página bem legal que eu conheci esse ano, chamada "Um cartão". Nas redes sociais (sim, também tem  Facebook e Twitter!) é só procurar por @umcartao. A proposta é expor sentimentos e ideias através de cartões, e eu realmente acho que se você não conhece, precisa conhecer esse perfil pra se inspirar com as mais de 6 mil postagens, que vão desde algo mais reflexivo a frases fofas. 

Calma que não acabou! O sucesso dos cartões com mensagens em estilo cotidiano foi tão grande que virou até um livro! E depois mais um. E depois mais um! Pois é, o prestígio não é pouco! O site do perfil tem todos os livros, além de outros produtos bem legais, como camisas, bolsas e quadros lançados por algumas marcas. Dá uma passadinha lá pra conferir! 
Bárbara Amorim

Agora bora admirar a beleza desses cartões, bora?






E aí, você já conhecia o perfil "Um cartão"?

16 de outubro de 2019

Escorregos, tropeços e recomeços

outubro 16, 2019 0
Escorregos, tropeços e recomeços
Poema sobre recomeços

Às vezes é preciso olhar pra trás
E avistar duas vezes a paisagem
Em busca daquele sentimento, perdido, que antes se encontrava
Não fora, não ao lado, mas dentro de si

Que cor te colore?
Ainda é a mesma que colore os girassóis?
Ou mudou pra uma esquina escura e agora a cor é cinza?

Ainda há poesia nos olhos que te habitam?
Ou foi tudo poluído pelo cansaço?
Que palavras te completam?
Ou é tudo um completo vazio?

Há algo que grita na escuridão
Imperiosa fúria
A vida dança em passos curtos e falsos
A gente escorrega, tropeça e recomeça

Bárbara Amorim

14 de outubro de 2019

Gostinho de casa é um verdadeiro abraço

outubro 14, 2019 0
Gostinho de casa é um verdadeiro abraço
Gostinho de casa é um verdadeiro abraço
Promessas incertas me guardam. E eu, aguardo cansada e esperançosa qualquer ideia de futuro. Talvez seja a ânsia de uma jovem em fim de graduação com boletos pra pagar. O fato é que a ideia de estabilidade, seja ela emocional ou financeira agrada e agrada muito. A gente gosta de se balançar na rede, mas a gente quer ter a rede no nosso quarto, pra poder se balançar no fim do dia

É bom viver intensamente, loucamente, mas é incrível a sensação de passar o dia fora e chegar à noite, abrir a porta de casa e saber que aquele cantinho é todo seu. Ter uma cama macia pra se jogar e assistir Netflix pode ser um encanto. Gostinho de casa é um verdadeiro abraço

É sério, não importa a idade que você tem, vai chegar a hora em que seus sonhos serão mais introspectivos, e de modo algum devemos ver isso como algo negativo. Todo mundo tem sua fase refrigerante, mas um dia a gente só quer o gostinho quente do café. Se agarre aos momentos como quem voa, livremente, de paraquedas, e se por acaso, ser livre pra você é escrever poemas ao acordar ao invés de ir pra praia com os amigos, ame a sua escrita. 

Caminhamos mesmo na incerteza de um futuro, seja ele como for, mas isso não pode nos impedir de viver o presente, e se atentar a ele com olhos perspicazes. A faculdade, por exemplo, vai chegar ao fim, como tudo na vida, mas ela não pode ser um rio em que você só precisa pular, experimente nadar nesse rio. Depois virão inúmeras fases e, talvez, a melhor escolha seja se perceber em cada uma delas.

9 de outubro de 2019

A avenida que a gente desfila

outubro 09, 2019 0
A avenida que a gente desfila
A avenida que a gente desfila
Da porta da minha casa
ouço a rua que me atravessa
Ruidosa e a voz do silêncio
Mil cores e opaca

De fato, guarda segredos
que as 24 horas não revelam
A rua tem mais passos que a nossa mente
mesmo quando vazia, traz histórias de gente

Pode ser triste ou alegre
Uma valsa ou uma dança solitária
Em seu mundo de concreto ou grama verde
A rua abraça e isola

Quem nunca se perdeu no cruzar de uma esquina
não entende seus obstáculos
Tropeços, vozes, apertos de todos os tipos
desenham as curvas da rua

Uma ida ao mercado ou à farmácia
Ao trabalho ou ao shopping
Somos corpos em movimento
E a rua é a avenida que a gente desfila

Bárbara Amorim

7 de outubro de 2019

Coringa - uma crítica ao sistema social

outubro 07, 2019 0
Coringa - uma crítica ao sistema social
Coringa - uma crítica ao sistema social
Na última quinta-feira (3) estreou nos cinemas o tão aguardado "Coringa", filme que traz Joaquin Phoenix brilhantemente na pele de Arthur, com uma atuação digna de Oscar! Na pele de um homem com problemas mentais, a história traz muitas camadas que merecem ser complexificadas, afinal, essa não é apenas uma trama de alguém que vai salvar ou acabar com o mundo, mas de alguém que precisa, antes, salvar a si mesmo. 
O personagem principal trabalha com palhaçaria, uma profissão, que em tese, deveria render diversos olhares, já que lida com o riso e com o público. Porém, o que acontece com Arthur foge totalmente dessa realidade. Solitário e desempregado, após ser despedido de vários empregos, ele insiste no ofício do stand-up comedy, mesmo com muitas pessoas, incluindo a sua mãe, deixando claro a ele que pra ser comediante tem que ser engraçado, e que talvez ele não seja. 

O que o filme faz é uma crítica ao sistema social, por conta de uma estrutura que beneficia uns e invisibiliza outros. O cotidiano pode nos tornar insensíveis, sem um olhar empático para enxergar o outro, mas agora, imagine você ser o outro, uma pessoa com poucos recursos financeiros, sem amigos e com problemas mentais. A vida parece fácil? Somos todos iguais? E quando o sistema não pode mais nem te amparar com remédios e psicólogos? Com quem conversar? E em alguns casos, mais graves, como existir? 
Coringa - uma crítica ao sistema social
Nesse processo de busca pelo que se quer, mais precisamente na cidade de Gotham dos anos 70/80, num período de crise econômica, Coringa vira o símbolo de uma anarquia, gerada por uma população insatisfeita com as desigualdades sociais. Seria extremamente superficial a gente falar que ele se tornou um vilão aleatoriamente ou que a obra do cinema aqui em questão incita a violência sem considerarmos todo o seu conjunto, que inclui toda a violência simbólica (mas não apenas) sofrida pelo personagem. Por mais que sim, ele acabe sendo propagador da barbárie, isso não faz com que ele deixe de ser também uma vítima de todo esse cenário. 
Coringa
Precisamos parar de alocar as pessoas em caixas de "bons" e "maus", como se só existissem dois tipos de personalidades. Na vida real as pessoas podem agir por inúmeros sentimentos num mesmo dia. O que a gente precisa é observar com olhos de águia a raiz dos problemas e entender por que eles existem. Acredite, "Coringa" é muito mais profundo do que alguns querem fazer parecer. 

Se você já assistiu ou gostou desse post, me conta que eu vou adorar ler sua opinião! 

2 de outubro de 2019

Entre a morte e a escrita

outubro 02, 2019 0
Entre a morte e a escrita
Poema sobre morte e escrita
Suavemente rasguei a minha pele
E contornei meus ferimentos com o salgado das minhas lágrimas
Observei a dor escrever rasuras na epiderme
E lentamente eu entendi que me faltava viço, me faltava vida

Não fiz nada além de me aconchegar na solidão
Nem gritei o excesso de palavras que havia em mim
Cada letra triturada engasgada na garganta
Apenas fechei meus olhos

E como a morte não me viria naquele instante, peguei um papel
Se a vida em mim já não mais cabia
Faria da escrita meu refúgio
Seria a minha passagem

Então mesmo que despedaçada
Haveria cor e poesia em parte de mim
Até o dia em que minhas pupilas sangrarem 
E nem a escrita puder me salvar

Bárbara Amorim

30 de setembro de 2019

Rock in Rio 2019: os looks que reinaram no primeiro dia de festival

setembro 30, 2019 0
Rock in Rio 2019: os looks que reinaram no primeiro dia de festival
Rock in Rio 2019: os looks que reinaram no primeiro dia de festival
Na última sexta-feira (27) foi dada a largada para o maior festival de música do mundo: o Rock in Rio. E é claro que as celebridades não deixaram de comparecer a esse evento lindíssimas com seus looks, né? Então que tal vir comigo ver quais foram os visus que reinaram no primeiro dia de festival? E aproveita pra me contar depois qual foi o seu look favorito, hein!

Sophia Abrahão
Nesse look com poucas cores, a ruiva apostou em algo confortável, despojado e esportivo para aproveitar bem o primeiro dia de Rock in Rio. 

Giovanna Lancellotti
Básica e sexy, essa foi a pegada escolhida pela atriz Giovanna Lancellotti para curtir o festival. 

Angélica
Total black com peças de couro e strass tornaram o look de Angélica não muito inovador, mas propício para o evento, que tem o preto como a sua principal cor. 

Monique Alfradique
A atriz Mônique Alfradique caprichou na combinação de cores nada óbvias para o festival, e o resultado foi uma produção moderna e elegante. 

Pâmela Tomé
Abusando de muita sensualidade, Pâmela Tomé optou por nada menos que uma body decotado e transparente acompanhado de um short jeans curto para montar um look fresco e de arrasar. 

Agora é a hora que você me conta qual o seu look favorito!